Widget Image
[qodef_separator type='normal' position='center' border_style='solid' color='' width='' thickness='34' top_margin='' bottom_margin='' ]
Widget Image
[qodef_separator type='normal' position='center' border_style='solid' color='' width='' thickness='27' top_margin='' bottom_margin='' ]
Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit, sed diam nonummy nibh euismod tincidunt ut laoreet dolore magna aliquam erat volutpat. Ut wisi enim
[qodef_separator type='normal' position='center' border_style='solid' color='' width='' thickness='17' top_margin='' bottom_margin='' ]
[qodef_separator type='normal' position='center' border_style='solid' color='' width='' thickness='22' top_margin='' bottom_margin='' ]

Subscribe to our newsletter

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit, sed diam nonummy nibh euismod tincidunt ut laoreet dolore magna aliquam
[contact-form-7 404 "Not Found"]

Aeróbico em jejum: vale a pena?

Por Petra Oswald de Moraes  – Nutricionista & Personal Diet

Se existe um assunto polêmico, definitivamente esse é um deles. Mas talvez a pergunta certa seja, aeróbico em jejum é para todos?

Eu vejo todos os dias aqui no insta um MONTE de gente postando AEJ e tenho certeza de que muitos nem sabem porque realmente estão fazendo isso. Quero começar dizendo que a literatura atual apresenta vários resultados inconsistentes em relação aos seus efeitos, ou seja, ainda não há artigos científicos que comprovem que haja um grande aumento da oxidação de gordura quando comparada a atividade aeróbica realizada após períodos de alimentação. Um artigo publicado por Paoli, em 2011 mostrou que apesar de existir um pequeno aumento no gasto de gordura DURANTE a atividade aeróbica realizada em jejum, os resultados mostraram que APÓS 12h e 24h aqueles que realizaram a atividade em jejum tinham um menor gasto calórico total e menor utilização de gordura, interferindo negativamente no metabolismo ao longo do dia. O que eu posso concluir com isso? Passar um tempão sem comer, correr o risco de passar mal, reduzir o desempenho, tudo para queimar mais gordura, cuidado, você pode estar se arriscando à toa!

Agora se você é uma pessoa que não consegue se alimentar de manhã, ou que precisa acordar muito cedo para treinar e não consegue ter um intervalo entre alimentação e atividade física, pode se beneficiar com essa estratégia.

 Em resumo, treinar em jejum não possui grande efeito otimizador sobre o emagrecimento, mas é a individualidade que vai dizer o que pode ser feito. Procure orientação profissional sempre. 

Petra Oswald de Moraes – Nutricionista Esportiva & Personal Diet – CRN 34769     –    (11)99994-9115
Especialista em Bioquímica, Fisiologia, Treinamento e Nutrição Esportiva – UNICAMP
Coloque seu comentário